Mestra Odete Maciel

RISCO
RISCO
RISCO
RISCO
RISCO
RISCO

Memórias em Renda Renascença,  Mestra Odete Cavalcanti Maciel

Ouvir a mestra Odete Maciel, suas lembranças em renascença, é imergir ao cenário da origem do primeiro núcleo têxtil das rendeiras da Renda Renascença que foi em Poção, Pernambuco. É seguir no tempo-espaço, renascença em processo, modelagem de uma vernacular história, em Pernambuco-Paraiba, Ser Tradição-Têxtil-Familiar!  É a rendeira D. Odete que nasce diretamente deste Duo [Mestra Lala e D. Áurea Jatobá], convivendo de perto com estas protagonistas, assim ela conta em breve história   “ Maria Pastora, natural de Poção, em passagem pela cidade, ensinou a Lala e esta tendo feito uma palinha de renda, mostrou a D. Áurea Jatobá, uma senhora da elite de Pesqueira, porém natural de Poção, que se empolgou com aquele trabalho e mandou que ela ensinasse a jovens que ela forneceria o material e os riscos para trabalhar… Então a gente fez isso, aprendeu a renascença e toda semana vinha os desenhos e os materiais para a gente trabalhar, assim muitos e muitos anos.” Seguidamente D. Odete Maciel assume a liderança do grupo e continuou trabalhando para D. Áurea Jatobá, depois em 1955, se casou e veio morar em Pesqueira, passando a ser professora de renda renascença pela Prefeitura desta cidade.

Mestra Odete faz parte da história da renda renascença, desde o início, contribuiu para a formação das inúmeras mulheres rendeiras, acompanhou as inovações estéticas e mudanças sociais que ocorreram com a criação em processo, deste grande Polo Têxtil Artesanal Renascença em Mãos de Pernambuco-Paraíba. Quanto a sua opção pelo ensino da renascença a Mestra Odete comenta  “Ganhei o suficiente. Eu nunca fui de explorar, sabe como é… por isso, é que eu não sou rica! Nunca fui ambiciosa. Tem tanta gente que aprendeu comigo e hoje é rica, rica,  mas todo mundo se deu bem com a renascença, eu também me dei, não faltou o pão de cada dia até hoje.” E sobre o ato de rendar ela diz  ”Tira muita coisa da cabeça da gente, porque a gente pensa nos pontos que está fazendo, assim tira tudo de ruim da cabeça.  Se eu tiver aperreada pego meu rolo de renascença… acaba-se o aperreio!”.

Com lacês em mãos, Mestra Odete Maciel, percorre lembranças, em memórias das histórias vividas e rendadas pelas suas mestras, por ela e pelas rendeiras- aprendizes. Aos 91 anos, se prepara pela sétima vez, para o Salão dos Mestres na Fenearte 2019 e diz  “E até hoje faço minhas rendas, que é minha distração!“.

Lenice Queiroga
Pesquisadora e Artista Multimídia